21 novembro 2011

AUSTERO (DES)GOVERNO PSD/CDS-PP

Aquando do período de campanha eleitoral para as Eleições Legislativas de 5 de Junho, o Partido Socialista elegeu a defesa intransigente do Estado Social como principal vector de actuação política, assente nos pilares da Escola Pública, do Serviço Nacional de Saúde e da Segurança Social. Nesse momento difícil e de dificuldade, o Partido Socialista pretendeu, sobretudo, defender Portugal, proteger as pessoas, preservar e desenvolver os serviços públicos e as funções sociais do Estado que ajudam os mais desfavorecidos.

O Partido Socialista foi a votos e perdeu, de uma forma clara e inequívoca, para uma maioria que viria a surgir coligada entre os Partidos de Direita, CDS-PP e PSD.

Passados cerca de três meses de governação da maioria de direita, aqueles que, enquanto oposição, não queriam mais austeridade e que referiam que não se poderia exigir mais sacrifícios aos portugueses, têm demonstrado exactamente o oposto.

Vejamos, e a saber, este Governo PSD/CDS-PP impôs aos portugueses, contrariamente ao que prometeu, o aumento dos impostos por três vezes: o imposto extraordinário equivalente a 50% do subsídio de Natal acima do salário mínimo nacional, o aumento do IVA no gás e electricidade de 6% para 23% e o aumento do preço dos transportes públicos em cerca de 15%.

Deste Governo de direita que soma austeridade à austeridade e ataca os rendimentos dos que menos têm, esperam-se ainda mais medidas com gravidade idêntica para os portugueses. Recentemente, foram noticiadas a redução das comparticipações em medicamentos e vacinas, a suspensão de obras de requalificação de escolas secundárias previstas no programa da empresa Parque Escolar, a interrupção do programa de distribuição do computador Magalhães, entre muitas outras medidas que virão a ter importância na vida de todos os portugueses.

Identificamos facilmente este Governo com a marca dos 3 I’s”: a marca da injustiça social, do incumprimento eleitoral e da insensibilidade social, como referiu recentemente António José Seguro.

Vasco Miguel Casimiro

http://vascocasimiro.blogspot.com/

vascocas@gmail.com

Artigo publicado na Revista Dada - Edição Outubro/Novembro

Sem comentários: