02 julho 2011

Lezíria ganha população e Médio Tejo perde habitantes

Benavente foi o concelho do distrito de Santarém que mais ganhou população na última década (mais 26,3 por cento) e Mação o que mais perdeu (menos 12,5 por cento), segundo os dados preliminares dos Censos 2011, divulgados pelo Instituto Nacional de Estatística (INE). A população residente de Benavente cresceu de 23.257 pessoas em 2001 para 29.388 em 2011, num distrito em que foram mais os concelhos que perderam população do que os que ganharam.

Além de Benavente, outros cinco concelhos dos 11 que integram a Lezíria do Tejo cresceram - Azambuja (que pertence ao distrito de Lisboa, 4,5 por cento), Almeirim (6,5 por cento), Cartaxo (5 por cento), Rio Maior (0,5 por cento) e Salvaterra de Magos (9,3 por cento).

Os restantes cinco concelhos da Lezíria do Tejo perderam população, sendo a Chamusca aquele que registou maior quebra (11,9 por cento), seguindo-se Coruche (6,5 por cento), Alpiarça e Golegã (ambos com menos 3,9 por cento) e Santarém, a capital do distrito, com menos 2,2 por cento (passou de 63.563 residentes para 62.162).

No Médio Tejo as situações de perda são mais significativas, com nove dos onze concelhos a perderem população. Apenas Entroncamento e Constância viram a sua população crescer em 11,1 por cento e 6,3 por cento, respectivamente.

Se Mação foi o que registou maior quebra (de 8.442 residentes para 7.383), também viram reduzida a população na última década Abrantes (menos 6,8 por cento), Alcanena (menos 4,9), Ferreira do Zêzere (menos 8,2 %), Sardoal (menos 3,8), Tomar (menos 4,9), Torres Novas (menos 0,1 %), Vila Nova da Barquinha (menos 3,6) e Ourém (menos 0,7). Apenas Entroncamento e Constância viram a sua população crescer em 11,1 por cento e 6,3 por cento, respectivamente.

in O Mirante

Sem comentários: