23 março 2010

Estudo sobre árvores é público

O Bloco de Esquerda do Cartaxo acusa a câmara municipal de estar a proceder a um corte selvagem de árvores na cidade.

Segundo o comunicado do Bloco de Esquerda, o presidente e o vice-presidente da autarquia comprometeram-se, em reunião com os eleitos bloquistas, a divulgar o estudo que suporta a suposta doença das árvores da Praça 15 de Dezembro e a necessidade de estas serem cortadas, o que, segundo o comunicado, não aconteceu.

O Bloco de Esquerda já deu conta deste corte de árvores ao Ministério do Ambiente, ao Instituto de Florestas de Portugal, à QUERCUS e a outras associações ambientalistas nacionais.

Pedro Mendonça, eleito do Bloco, pergunta se existe ou não este estudo.

Paulo Varanda, vice-presidente da câmara municipal, diz-se surpreendido por estas declarações, acrescentando que o estudo é público desde o dia 24 de Dezembro, estando afixado na câmara municipal.

Um argumento que não é aceite pelo Bloco de Esquerda, que afirma que o Edital do presidente da câmara tem a data de 15 de Janeiro, acrescentando que o estudo referido pelo vice-presidente não passa de um levantamento de espécies e plano de abate e plantação.

O Bloco refere, ainda, que em nenhum momento é dito qual o critério científico utilizado ou o técnico científico responsável, sendo que o documento é assinado por uma arquitecta.

Quanto à questão colocada pelo Bloco de Esquerda sobre a existência ou não de visto do Tribunal de Contas, Paulo Varanda assegura não ter dúvidas de que esta entidade vai conceder o visto às obras do Parque Central, garantindo, mais uma vez, que estas obras não vão parar.

O vice-presidente garante que as orientações deste estudo vão ser seguidas à risca.

in Rádio Cartaxo

Sem comentários: