08 outubro 2009

Mais de mil estudantes em pós-graduações de alto nível

Pela primeira vez, um mestrado em Portugal foi eleito o melhor do mundo. Mas são cada vez mais as parcerias de luxo no superior. No ano passado 50 mil fizeram mestrado ou doutoramento.

Em Portugal há um milhar de alunos a tirar mestrados doutoramentos com o selo de instituições de nível mundial, como o Massachusetts Institute of Technology (MIT) ou o King's College de Londres.

A participação da Universidade Nova no consórcio internacional que oferece o programa CEMS -MIM - escolhido pelo Financial Times como o melhor mestrado internacional em gestão do mundo - é assim a 'ponta do icebergue' de um conjunto de parcerias de alto nível que estão a pôr as instituições portuguesas no mapa.

Nas ofertas dinamizadas pelo Ministério do Ensino Superior, contou ao DN o secretário de Estado Manuel Heitor, contam-se," entre formações concluídas e em curso, 349 estudantes nos programas com o MIT, 140 com Carnegie Melon e 90 com a Universidade de Austin, Texas", seguindo-se para breve a Universidade de Harvard (ver caixa).

Projectos com uma forte vertente de investigação que têm as três grandes públicas de Lisboa (Clássica, Nova e Técnico), Coimbra, Porto, Aveiro e Minho como parceiros nacionais.

Mas as instituições estão também cada vez mais autónomas a este nível. No caso da Nova, disse ao DN o presidente da Faculdade de Economia, Ferreira Machado, a distinção do programa CEMS, que conta com 34 inscritos, acaba por premiar o espírito internacional desta faculdade: "Temos alunos de 27 nacionalidades nos nossos programas e professores de 16 nacionalidades", contou. Mas representa também "a confirmação de uma filosofia de internacionalização que algumas instituições do ensino superior português têm defendido. Outras distinções virão", antecipou.

Entre outras parcerias de topo conta-se o LLM da Católica, um mestrado em Direito oferecido em parceria com o King's College de Londres, que forma cerca de duas dezenas de alunos nacionais e estrangeiros por ano.

Na Universidade de Lisboa, contou ao DN o professor Vasconcelos Tavares, uma das grandes apostas é "um doutoramento em ciências Jurídico-Politicas com a Universidade de Católica de Lovaina. ISCTE, Porto e Coimbra também têm projectos.

As pós graduações parecem estar cada vez mais na moda. No ano lectivo passado, quase 50 mil estudantes frequentaram mestrados (não integrados) e doutoramentos em Portugal.

in DN por PEDRO SOUSA TAVARES

Actualmente, num mercado de trabalho cada vez mais competitivo, é necessário continuar a investir na formação académica após a licenciatura. A enorme quantidade e diversidade de oferta dificultam a escolha. Há que saber escolher o que nos pode enriquecer, quer a nível pessoal quer no âmbito da prática profissional diária.

Sem comentários: