13 agosto 2009

Dia Internacional dos Canhotos

Canhotos são mais rápidos no pensamento

Ser canhoto significa em várias línguas alguém que trabalha melhor com a mão esquerda, mas também que é desajeitado, tolo ou pateta. Estudos científicos indicam o contrário: afinal, pensam mais rápido quando conduzem, praticam desporto ou jogam no computador.

O mundo está pensado para os destros e, por isso, a 13 de Agosto de 1992, o clube britânico Left-Handers lançou o Dia Internacional dos Canhotos, numa forma de protesto contra a discriminação que sofrem os esquerdinos no mundo dos que usam essencialmente a mão direita.

Apesar da mudança de mentalidades que fez desaparecer os castigos escolares para obrigar as crianças a usarem a mão direita e perante as indicações científicas de que, na prática, os canhotos até pensam mais rápido quando fazem algumas actividades, a verdade é que no léxico ainda perdura o sentido pejorativo da palavra.

Ser canhoto, no dicionário de português, é alguém que trabalha melhor com a mão esquerda mas também que é desajeitado.

Também nas línguas francesa, espanhola, italiana e inglesa a palavra canhoto tem o mesmo significado pejorativo: tolo, pateta, trapalhão, sinistro, desajeitado. Destro, ao contrário, é aquele que é dotado de destreza, hábil, ágil, astuto.

A excepção à regra é o grego, o único a favor da esquerda: o termo que designa a mão esquerda tem o sentido de melhor e a mesma origem da palavra aristocracia.

Expressões populares valorizam de forma diferente os dois hemisférios do corpo: após uma sequência de reveses, diz-se que o desafortunado acordou com o pé esquerdo e, na passagem de ano, desejamos ao próximo que entre com o pé direito.

Nada que incomode os canhotos do tempo actual. Ser canhoto é simplesmente ser alguém que usa predominantemente a mão esquerda nas suas actividades e as dificuldades inicialmente encontradas são em grande parte ultrapassadas com o uso de utensílios adaptados ou através de estratagemas.

Os canhotos acabam por se adaptar ao facto de tudo estar pensado para os destros. Marta Cruz, bancária, 33 anos, é um exemplo.

"Acabei por me habituar. As maiores dificuldades surgem geralmente nas tarefas mais básicas do dia-a-dia. Lembro-me que nos tempos de faculdade o que mais me trazia transtornos eram as cadeiras com pequenas mesas que se levantavam no lado direito", disse.

Discriminação garante que nunca sentiu, mas também, diz, é de uma geração que já não contrariava os canhotos.

Para escrever, por exemplo, é frequente um canhoto entortar a mão e deitar-se em cima da mesa para conseguir ler enquanto escreve.

Já quando se sentam à mesa, um dos primeiros gestos é trocar os talheres. A maior dificuldade surge com a faca de peixe.

Em matéria escolar, existem tesouras para canhotos, os cadernos escolhidos geralmente não são de argolas e se for possível o colega do lado deverá ficar do seu lado direito.

Vários estudos científicos indicam que os canhotos pensam mais rápido no desporto, na condução ou nos jogos de computador, que têm uma visão diferente do mundo ou que são mais susceptíveis a uma série de problemas de saúde.

Mas por que são as pessoas canhotas? O cérebro divide-se em dois hemisférios - direito e esquerdo, cada um controlando os movimentos da parte oposta do corpo.

Os gestos que fazemos com a mão esquerda, o pé esquerdo e o olho esquerdo são controlados pelo hemisfério direito, enquanto que os movimentos do lado direito do corpo são regulados pelo hemisfério esquerdo.

Uma vez que a maioria das pessoas são destras, o hemisfério que predomina é o esquerdo. Nos canhotos é o hemisfério direito que lidera.

in DN

Sem comentários: