24 agosto 2009

Autárquicas: idade dos candidatos ainda pesa no momento de votar

Em Portugal a média de idades dos presidentes de Câmara é de 50 anos

Gerir uma autarquia é um desafio para muitos autarcas mas em Portugal os 50 anos de idade da maioria dos presidentes de Câmara não intimidam os candidatos mais jovens que irão a sufrágio a 11 de Outubro. A Câmara de Arganil é presidida pelo autarca mais jovem do país, Ricardo Pereira Alves, 32 anos, e em Valongo encontra-se o mais velho presidente, Fernando Melo, 73 anos, ambos sociais-democratas.

Em Portugal a média de idades dos presidentes de Câmara é de 50 anos, de acordo com dados da Direcção-Geral da Administração Interna (DGAI) sobre o perfil dos autarcas eleitos em 2005, mas este ano candidatam-se alguns jovens, sendo o mais novo de 19 anos.

Renato Gonçalves, que ainda só votou uma vez nas últimas eleições europeias, candidata-se à Câmara de Constância pelo CDS-PP com "boas expectativas" sendo a sua principal motivação a paixão que tem pelo concelho e pela política. "Na política a idade pouco importa e estou preparado para desmistificar isso", afirmou à Lusa admitindo que nunca se sentiu discriminado.

Em Torre de Moncorvo o presidente tem 52 anos e tinha 30 quando foi eleito pela primeira vez. Aires Ferreira, o mais antigo autarca socialista do país, desvaloriza a importância da maturidade na gestão autárquica, pois "quem tem vocação para desempenhar este cargo poderá candidatar-se em qualquer idade". O autarca admite que sentiu algum "ataque" quando se candidatou pela primeira vez aos 27 anos, mas a expressão "onde há galo não canta pinto" do seu opositor de 60 anos motivou-o a recandidatar-se após quatro anos e ganhou.

A juventude como mais-valia política
Os poucos jovens candidatos às autárquicas 2009, alguns entrevistados recentemente pela Lusa, consideram-se uma "mais-valia" para a política actual, ignoram qualquer tipo de discriminação e não vêem a maturidade como factor fundamental para enfrentar um sufrágio eleitoral.

Para além de Renato Gonçalves fazem parte dos candidatos mais jovens Luís Almeida (BE), de 23 anos, André Rijo (PS), de 25 anos, e Paulo Matos (PSD), também 25, que se candidatam às Câmaras de Sabrosa, Arruda dos Vinhos e Gavião, respectivamente.

A idade pode influenciar na hora de votar
Para o doutorando em Sociologia Política no ICS, Jesus Sanz, a idade do candidato pode influenciar os votantes de várias formas. Contudo quem enfrenta o desafio de ser presidente de Câmara "tem que ser o líder de uma equipa onde pode haver peritos em diferentes áreas" e sabedoria "não é património de uma faixa etária". "Em democracia não é preciso ser perito para ocupar um cargo público, mas capacidade de liderança, habilidades comunicativas, sentido da responsabilidade e uma boa dose de ilusão e motivação", sustentou o estudante, a desenvolver um trabalho sobre a participação social e política dos jovens.

Segundo o mesmo documento da DGAI, os presidentes de Câmara eleitos pelas listas do BE são os mais velhos de todos, com 52 anos, sendo os mais jovens, com 45 anos de média de idades, os eleitos pelas listas do CDS-PP.

Desta conclusão importa salientar que o BE preside apenas num concelho do país, em Salvaterra de Magos, bem como o CDS-PP em Ponte de Lima.

A média de idades dos autarcas socialistas é de 50 anos, bem como os sociais-democratas, e a CDU apresenta uma média de 52 anos. Os eleitos mais jovens encontram-se nos distritos de Aveiro, Beja, Braga, Guarda, Porto, Viseu, Regiões Autónomas dos Açores e da Madeira, sendo os autarcas dos Açores os mais jovens do país. Nos distritos de Bragança, Castelo Branco, Portalegre, Viana do Castelo e Vila Real foram eleitos os mais idosos do país.

in Publico

Sem comentários: