03 julho 2009

O aparte o ministro e os cornos



Não é verdade que o incidente tenha sido com o ministro da Economia. Foi com o ministro da Economia e da Inovação. O pormenor não é para desprezar. Foi nessa qualidade de ministro da Inovação que lhe deu, a Manuel Pinho, para se expressar de forma nova. Ele, que tem tentado manter em funcionamento as minas de Aljustrel, custou-lhe ouvir um aparte jocoso do deputado comunista Bernardino Soares. Daí Pinho ter feito um gesto lembrando Ápis. O boi Ápis era adorado no Antigo Egipto e era símbolo da fecundidade. Provavelmente o ministro queria dizer, com o seu gesto, que ele, Manuel Pinho, fecundou, fez, arranjou trabalho para os mineiros. Mas o país, pouco dado à mitologia egípcia, não entendeu. Não entendeu apesar de o ministro ter feito corninhos que mais pareciam antenas da Abelha Maia - numa alusão evidente ao touro Ápis, pois ápis também quer dizer abelha. Ora é essa frouxidão na linguagem gestual - esses cornos parecidos com antenas - que eu mais critico em Manuel Pinho. Mais valia ele ter feito um grande manguito ao aparte jocoso. No Parlamento há certas coisas que não se fazem, mas, em fazendo, que seja com garra. E, depois, claro, pedia demissão.

in DN por Ferreira Fernandes

Sem comentários: