28 julho 2009

Campus de Justiça de Lisboa


A melhoria da qualidade de atendimento aos cidadãos que recorrem à justiça, a comodidade dos seus utentes, o incremento das condições de trabalho e a melhoria das infra-estruturas foram motivos fundamentais para que o Ministério da Justiça desenvolvesse o conceito do Campus de Justiça como resposta e solução para os problemas de instalações, algumas muito degradadas que afectavam algumas das maiores Comarcas do País. Como acontecia também com Lisboa.

As instalações que foram oficialmente inauguradas no dia 22 de Julho representam um avanço na modernização das infra-estruturas judiciárias. O Campus de Justiça de Lisboa concentra em 11 edifícios adjacentes o que antes estava instalado em 25 edifícios espalhados pela cidade de Lisboa.

Projectado pelos Arquitectos Nuno Leónidas e Frederico Valssassina o Campus de Justiça de Lisboa vai albergar 309 Magistrados e cerca de 2000 funcionários.


O Campus compreende:

- Tribunais: Tribunal Central de Instrução Criminal; Tribunal de Execução das Penas; Varas Criminais; Tribunal de Instrução Criminal; Juízos Criminais; Departamento de Investigação e de Acção Penal; Juízos de Pequena Instância Criminal; Tribunal do Comércio; Tribunal Administrativo e Fiscal – Tribunal Tributário; Tribunal Administrativo e Fiscal – Tribunal Administrativo de Círculo; Tribunal de Família e Menores; Tribunal Marítimo; Juízos de Execução;

- Serviços de Registo e Notariado: Registo Predial; Registo Automóvel; Cartão do Cidadão;

- Serviços centrais do Ministério da Justiça: Instituto dos Registos e do Notariado; Instituto de Gestão Financeira e de Infra-estruturas da Justiça; Direcção-Geral da Administração da Justiça.


Existe falta de segurança? A Cidade Judiciária de Lisboa dispõe de 60 seguranças privados, uma esquadra da PSP com 60 agentes e 700 câmaras de videovigilância. As câmaras estão instaladas tanto no interior como no exterior dos edifícios, nomeadamente nos 4 mil lugares de estacionamento subterrâneo para o público e funcionários.

fonte: GIMJ e IOL

Sem comentários: