24 julho 2009

Bloco de Esquerda quer eleger um deputado por Santarém

O Bloco de Esquerda (BE) quer eleger “pelo menos um deputado” pelo distrito de Santarém, disse à Lusa o líder do partido, Francisco Louçã.

O partido apresentou hoje em Santarém a sua lista às eleições legislativas pelo círculo eleitoral do distrito, que vai ser liderada pelo economista José Guilherme Gusmão, com 33 anos, natural de Lisboa e membro da Comissão Política Nacional.

Segundo Francisco Louçã, o partido tem todas as condições para eleger, pelo menos, um deputado, atendendo ao resultado das últimas eleições europeias em que o BE obteve cerca de 12% dos votos no distrito de Santarém. O líder do Bloco considera que Santarém é um dos distritos onde o partido pode “medir” o resultado nacional, nestas que são para Louçã, as eleições “mais radicais de sempre porque ocorrem num período em que estão condensados no tempo todas as maiores dificuldades do país”.

Entre as prioridades do partido para o distrito, estão as questões do emprego, mas também a saúde e o apoio aos pequenos e médios agricultores. “O emprego deve ser a nossa principal obsessão, a razão de ser desta candidatura”, referiu o candidato José Guilherme Gusmão. O candidato referiu ainda que o Bloco vai apostar em propostas de reabilitação urbana que “ponham mais casas no mercado e permita reduzir o preço das novas, em alertar para as questões da poluição dos rios, para a falta de apoio aos agricultores, exemplificando com a recusa do partido em aceitar a privatização da Companhia das Lezírias.

José Guilherme Gusmão disse ainda que considera “inaceitável” a aplicação do lay-off e de despedimentos em empresas viáveis, dando o exemplo da situação da Platex em Tomar.

Para a candidata em terceiro lugar na lista, Sara Cura, uma arqueóloga de Vila Nova da Barquinha, o distrito de Santarém “não pode ser apenas uma âncora interior da região de Lisboa”. As propostas deixadas pela candidata são de aposta na melhoria dos transportes públicos no distrito, dos serviços de saúde e medicina familiar – dando como exemplos os problemas com médicos de família em Ourém, Torres Novas, Alpiarça e Chamusca – e também de reforço da oferta turística.

O número dois da lista do Bloco é o jovem Bruno Miguel Góis, com 23 anos, licenciado em Relações Internacionais (Santarém), segue-se Sara Cura, de 31 anos, arqueóloga de Vila Nova da Barquinha, Henrique Leal, professor com 55 anos e ex-vereador na Câmara do Entroncamento, Pedro Choy, médico de medicina tradicional chinesa e candidato à Assembleia Municipal de Salvaterra de Magos, Maria Manuela Dâmaso, professora com 47 anos, Alcino Hermínio, professor de 47 anos, Maria da Luz, técnica de conservação e restauro, Vasco Manuel Ruivo, operário planificador e Leonor Oliveira, investigadora em história de arte.

in O Ribatejo

Sem comentários: