15 maio 2009

Sport Lisboa e Cartaxo

Frederico Guedes é o novo presidente do Sport Lisboa e Cartaxo

Frederico Jorge Guedes é o novo presidente do Sport Lisboa e Cartaxo (SLC), que tomou posse juntamente com os restantes membros dos órgãos sociais do clube na noite de segunda-feira. Quase seis meses passados de assembleias-gerais sem fumo branco e com a indisponibilidade de Avelar Marques, anterior presidente, de continuar à frente da direcção, surge uma nova equipa dirigentes, com uma média de idades a rondar os 35 anos.

Frederico Guedes pertenceu a anteriores direcções durante cinco anos e foi vice-presidente. Agora, como líder do SLC, traça como principal objectivo concluir as obras dos novos balneários do campo das Pratas.

“É uma obra primordial, já que o campo tem os mesmos balneários há quatro épocas e há que dar dignidade a quem ali joga. O processo também passa pela câmara e tive garantias do presidente de que protocolo de 2009 terá o mesmo valor do que em 2008. Temos ainda a receber uma verba do Instituto do Desporto de Portugal no final dos trabalhos. Com um orçamento apertado e a vontade de apoio das empresas, conseguiremos acabar as obras”, explica o novo presidente.

Sem dívidas ao Fisco, o SLC quer ainda reforçar o património do clube que apenas possui duas salas sem condições na velhinha sede no centro do Cartaxo, que sofreu um incêndio em 2008. Frederico Guedes considera que ao fim de 75 anos de vida o clube pode ter o campo das Pratas em seu nome.

“Temos garantias do presidente da câmara e de documentação fruto de um acordo tripartido assinado com o actual proprietário do campo e com a autarquia. Quando estiver concluída a alteração ao plano director municipal o campo passará para o nosso nome e teremos possibilidade de aí construir uma nova sede”, augura o dirigente.

Frederico Guedes, 44 anos, gerente comercial, vai contar na direcção com Marco Bruno (vice-presidente), Susana Valada (tesoureira) e João Morgado (secretário). João Anacleto, Marco Canadas e Miguel Ribeiro são vogais, enquanto Pedro Caetano, Dionísio Pereira e Luís Pedro Coutinho são suplentes.

Vasco Cunha preside à mesa da assembleia-geral, tendo Augusto Parreira como vice-presidente e Hernâni Ferreira e João Pedro Raposo, respectivamente, como primeiro e segundo secretários.

O conselho fiscal é presidido por Amândio de Pina. Será acompanhado por João António Pratas (secretário) e Manuel Afonso Dias (relator). Délio Pereira e Pedro Nobre são primeiro e segundo suplentes. Seis elementos dos órgãos sociais não tomaram posse segunda-feira por diferentes razões.

Redução de orçamento da equipa sénior

As dificuldades são grandes e a nova direcção pensa reduzir o orçamento da equipa de futebol sénior, que foi de 55 mil euros esta época. Acabada de ser despromovida à Honra Distrital – não se realizou o milagre desportivo pelo terceiro ano consecutivo - a equipa não será penalizada. Explica Frederico Guedes que o Cartaxo não tem possibilidade de praticar orçamentos idênticos aos de equipas que disputaram a sua série na III Divisão. Nem a descida é uma desmotivação. “Temos 16 jogadores dos 21 do plantel formados no clube e assim tem de continuar. Mas vamos tentar subir de novo de categoria. Queremos mostrar aos pais dos atletas que o dinheiro que vem do erário público tem de ser canalizado para o futebol juvenil. São as empresas dos Cartaxo e as de fora que têm de suportar a equipa sénior. Aqui tem de haver uma clivagem clara”, defende o dirigente. Recorde-se que o SLC conta com cerca de 300 atletas, das escolinhas aos seniores.

in O Mirante

Sem comentários: