01 janeiro 2009

Câmara do Cartaxo admite vender campo da Feira dos Santos

A Câmara do Cartaxo colocou o terreno onde há três décadas se realiza a centenária Feira dos Santos do Cartaxo como um dos bens a alienar no Orçamento Municipal para 2009.
A vereadora Rute Ouro, com o pelouro das Finanças do município, assegurou na sessão da Assembleia Municipal de terça-feira, que essa venda será «apenas uma intenção e não ainda uma decisão», apresentando-se apenas como uma estimativa orçamental.

O terreno em causa, que está avaliado em 5 milhões de euros, tem cerca de oito hectares e localiza-se muito perto do centro da cidade.

O presidente da Câmara, Paulo Caldas (PS), prometeu aos deputados municipais que no terreno em causa «não haverá urbanismo desenfreado».

No entanto, o deputado municipal do BE rejeitou a sua alienação, considerando que está em causa a «memória cultural» dos cartaxeiros, defendendo mesmo a preservação e requalificação daquele espaço, intimamente «ligado à memória colectiva» da terra.

«A maioria socialista tem uma visão mercantilista do património municipal», acusou Francisco Colaço.

Também o líder da bancada do PSD, Vasco Cunha, defendeu a requalificação do espaço, considerando que a autarquia está apenas interessada em realizar dinheiro.

Dado a conjuntura actual e a crise no mercado imobiliário, Vasco Cunha receia que o terreno municipal possa ser vendido abaixo do seu valor real.

No entanto, Paulo Caldas prometeu que esta alienação não irá colocar em causa o certame: «Enquanto não houver um espaço alternativo para a feira o terreno não será alienado», garantiu.

diário Digital / Lusa

Sem comentários: