23 outubro 2008

Cartaxo quer entrar nos 20 melhores mas... continua a afundar-se nos 20 piores

Cartaxo e Santarém no top 20 dos municípios piores pagadores

Os municípios do Cartaxo e de Santarém aumentaram substancialmente o prazo médio de pagamento a fornecedores entre o final de 2007 e 30 de Junho de 2008. Segundo dados oficiais da Direcção-Geral das Autarquias Locais (DGAL), a Câmara do Cartaxo passou de um prazo médio de pagamento de 358 dias para 529 dias, estando no décimo lugar a nível nacional entre as autarquias que mais tempos levam a honrar os seus compromissos.

Santarém, que no final de 2007 era o município da região que demorava mais tempo a pagar, passou dos 364 dias para os 425 dias. Está agora em 19º lugar da tabela nacional das autarquias com prazo médio de pagamento superior a 190 dias, numa lista que engloba 150 câmaras, um pouco menos de metade do total nacional.

in O Mirante


Cartaxo entre os 20 municípios com melhor qualidade de vida

Cartaxo tem vindo a subir na classificação do Índice de Desenvolvimento Social (IDS), tendo passado da 90ª posição em 1998 para a 36ª em 2004. Calculado a partir dos censos à população, o IDS é determinado por três variáveis – esperança de vida à nascença, nível educacional e conforto e saneamento. Desde 2004, o município integrou no seu plano de desenvolvimento estratégico, o objectivo de passar a figurar nos primeiros 20 municípios com melhor Índice de Desenvolvimento Social.

O presidente da autarquia, Paulo Caldas afirma que as políticas de desenvolvimento cultural, social e económico do concelho, têm desde sempre obedecido a esta ambição. Considerando que a qualidade de vida da população, assim como a capacidade de atrair mais pessoas e investimento empresarial depende da gestão municipal, o autarca assume como compromisso que, até ao final do mandato, o Cartaxo estará no grupo dos 20 melhores municípios para viver.

Da construção do Centro Cultural e do Estádio Municipal, passando pela concretização de novas áreas empresariais – como o ValleyPark e o Casal Branco –, até à preocupação com as acessibilidades e transportes, os investimentos têm obedecido e vão obedecer à ambição de fazer do Cartaxo um lugar onde os munícipes podem viver com satisfação. Paulo Caldas aponta ainda três áreas de intervenção que considera fundamentais para que a autarquia dê resposta às necessidades de vida e cidadania activas dos munícipes – a educação, a saúde e a segurança. Estas áreas de intervenção estarão à cabeça das prioridades para a acção futura do município.

in TV Tejo

Sem comentários: