17 setembro 2008

Vitórias morais? Não, obrigado.

Os caros leitores irão questionar-se porque vem este miúdo, leia-se "jovem cartaxeiro com algum tempo livre para navegar na Internet", falar de tão aziaga derrota para a selecção portuguesa de futebol, frente à sua congénere dinamarquesa? E logo agora que, já estava quase esquecido esse episódio triste da equipa das quinas. Pois bem, só agora venho escrever, passados oito dias do jogo em Alvalade, porque já começa a desaparecer aquela sensação, muito badalada no mundo futebolês, denominada por "Azia". Só por curiosidade, a minha definição de azia: sensação de azedume no estômago que costuma influenciar negativamente as análises desportivas, nomeadamente após derrotas das nossas "cores" preferidas. Após o desaparecimento dessa ligeira sensação, sinto-me em condições de fazer um breve e leve comentário ao jogo Portugal - Dinamarca, de apuramento para o Campeonato do Mundo 2010, na África do Sul.

Depois de uma fácil vitória em Malta, por 0 - 4, adivinhava-se jogo mais complicado em Alvalade, a 9 de Setembro, frente à Dinamarca. A selecção dinamarquesa seria sempre uma equipa mais difícil de bater relativamente à selecção de Malta. No entanto, não posso deixar de salientar que esta equipa nórdica, já não é a mesma surpreendente equipa que foi Campeã Europeia em 1992, após repescagem, onde pontificavam jogadores como Peter Schmeichel e Brian Laudrup. É necessário referir aqui que, a Dinamarca não participou nem no Mundial 2006, nem no Europeu 2008. Julgo que é uma informação importante a reter.

Portugal a jogar em casa, tinha tudo para fazer um bom resultado. Mas não foi isso que sucedeu. Foi um jogo disputado até ao último minuto, em que a equipa que acreditou mais na vitória, a conseguiu alcançar, e para desespero dos adeptos portugueses, essa equipa foi a dinamarquesa. Muitas oportunidades para fazer golo, com algum ascendente para Portugal que desperdiçou inúmeras ocasiões. No entanto, a velha máxima do futebol falou mais alto: quem não marca, sofre. E Portugal sofreu mesmo.

Não concordo com quem diz que Portugal jogou bem, não posso concordar. Jogar bem significa vencer, logo até jogando mal se pode jogar bem. Acho que me faço entender. Exemplo claro: Braga 0 - 1 Sporting. O Sporting com uma exibição "feia" e não jogando bem, conseguiu o objectivo do jogo: a vitória. São jogos desses que dão campeonatos, títulos, qualificações para Europeus e Mundiais, no fim contam apenas os três pontos. Carlos Queiroz não teve a astúcia de Paulo Bento, os jogadores portugueses não tiveram a habilidade dos jogadores sportinguistas, e acabaram por perder.

Contudo, na minha opinião não se deve entrar já em grandes dramatismos. Calma meus senhores! Não crucifiquem já o nosso "Carlitos". Foi apenas um balde de água fria no caminho a percorrer, rumo ao Mundial na África do Sul. Não peguem já na calculadora como é hábito, as contas ainda são fáceis de fazer. São 6 selecções, 10 jogos, 30 pontos em disputa. Estão 2 jogos disputados, 3 pontos obtidos e ainda se pode conseguir mais 24 pontos. Relembro que a França apurou-se para o Mundial 2006 com 20 pontos, em 10 jogos, com 5 vitórias e 5 empates.
Puxem apenas da calculadora, se necessitarem, quando a 10 de Outubro de 2009 faltar disputar o Portugal - Hungria e o Portugal - Malta. Julgo, sinceramente, que não irá ser necessário.

Acredito na nossa equipa! Força Portugal!


Vasco Miguel Casimiro


Cartoon de Henrique Monteiro in http://henricartoon.blogs.sapo.pt/


In Prolongamento

Sem comentários: