03 setembro 2008

Cartaxo vai candidatar investimento em águas e saneamento a fundos de coesão

A Câmara do Cartaxo vai apresentar uma candidatura ao POVT – Programa Operacional Temático Valorização do Território para poder beneficiar de compartições a fundo perdido num mínimo de 43 por cento. Segundo o líder da autarquia, Paulo Caldas (PS), será candidatado o investimento previsto no âmbito da concessão municipal das águas e saneamento no total de 12 milhões de euros.

Para o autarca, a dimensão e o alcance deste modelo, a sua sustentabilidade, assim como a estrutura verticalizada do sistema (em alta e em baixa), faz com que o Cartaxo tenha direito aos Fundos de Coesão. A câmara decidiu contratar os serviços de uma empresa especializada, que está a elaborar um documento de enquadramento estratégico, que será enviado para o Ministério do Ambiente e para a gestora do POVT. O documento deverá estar concluído em meados de Setembro e a candidatura feita até final do ano. Paulo Caldas garantiu ainda na última reunião do executivo que, se o modelo contar com uma comparticipação superior a 43 por cento, as verbas serão destinadas à redução da tarifa da água ou canalizadas para mais investimento.

O autarca voltou a lembrar que o Cartaxo vai beneficiar bem mais com a concessão municipal dos dois sistemas do que se tivesse integrado o modelo da empresa intermunicipal Águas do Ribatejo, que actualmente apenas abrange cerca de 40 por cento da população da Lezíria do Tejo.

Com a concessão dos sistemas de águas e saneamento a autarquia prevê arrecadar uma receita de 23 milhões de euros ao longo de 35 anos de contrato, a que acresce um tarifário favorável, a salvaguarda dos direitos dos trabalhadores, a manutenção do património municipal e a rentabilização do sistema.

in O Mirante

Sublinhado a negrito (por mim) estão palavras importantes a reter.

Sem comentários: