04 agosto 2008

Bem Francisco Palha e Salvador aproveita a passagem do furacão... Grave

Praça de Toiros: Montijo
Data: 02 de Agosto de 2008, pelas 22H00
Empresa: Bravura & Tradição
Organização: Aplaudir, Lda.
Ganadaria: Infante da Câmara, Vinhas, Conde Cabral, Murteira Grave, Passanha e Varela Crujo
Cavaleiros: Rui Salvador, Diego Ventura e Francisco Palha
Grupo de Forcados: Amadores de Alcochete e Aposento da Moita, capitaneados por Vasco Pinto e Tiago Ribeiro
Assistência: Casa Cheia
Delegados da IGAC: Dirigiu a corrida o Sr. Delegado Técnico Tauromáquico António Garçoa

A Monumental Amadeu Augusto dos Santos voltou a registar mais uma boa entrada de público. A melhor até à data na presente temporada com casa cheia!
Mais um bom cartel da empresa de João Pedro Bolota na 2ª Corrida de Toiros da discoteca Kaxaça. Um Concurso de Ganadarias que marcava a apresentação do “Furacão” Diego Ventura na monumental do Montijo.

Em disputa dos troféus Apresentação e Bravura, seis prestigiadas ganadarias da nossa Tauromaquia. Saíram à arena bem apresentados e colaboradores à excepção do lidado em 2º lugar, um Vinhas que não transmitiu e cedo se parou.

Abriu praça Rui Salvador frente a um Infante com 470kg, bem rematado e sério de comportamento mas de boas investidas. O cavaleiro de Tomar realizou uma lide regular que soube a pouco. Regular nos compridos, cravou a ferragem curta a encurtar distâncias com batidas ao piton contrário. No segundo do seu lote um Murteira Grave Bravo e Nobre. Bem apresentado com 550kg, o Grave arrancava com poder de todo em resposta ao cite. Rui Salvador não desperdiçou e proporcionou os momentos de maior emoção a citar de largo para ao quiebro cravar com poder em sortes preparadas de forma superior com Salvador a levar por ladeios um Grave que “pedia contas”.
Cavou mais um ferro a pedido do público que o premiou com as maiores ovações da noite. Um Grande Toiro e uma Grande Lide!

Diego Ventura, nº 1 do toureio a cavalo da actualidade apresentou-se no Montijo e a abrir teve pela frente o pior toiro da noite. Um Vinhas com 565kg que nunca se ligou na lide. Cravou dois bons compridos para iniciar a ferragem curta com uma passagem em falso. Destacou-se na brega e nos remates das sortes por piruetas. No seu segundo um Passanha bem apresentado com 480kg, de investidas francas a arrancar de largo inicia de foram superior com dois compridos ao quiebro a levar a emoção ás bancadas. Nos curtos, no primeiro cita de praça a praça para ao quiebro cravar encostado ás tábuas em emocionantes quiebros. De seguida a lide veio a menos e após passagens em falso, sofreu aparatosa colhida com cavalo e cavaleiro pelo chão, felizmente sem consequências. Já com o Morante em praça desfez-se em adornos e remates com o cavalo a tentar morder o corno do toiro para gáudio de muitos dos presentes… Uma lide que terminou desta forma… Na volta de agradecimento, sempre com a ajuda de uma muleta visto estar ainda em recuperação, mandou vir o Morante para o acompanhar na volta…

Francisco Palha, cavaleiro praticante demonstrou maturidade e experiência e não se intimidou com o nome dos seus colegas de cartel. O melhor da primeira parte é de sua autoria. Uma lide perfeita frente a um Conde Cabral de excelente apresentação com 495kg e com codicia a que o jovem cavaleiro cravou dois compridos de boa nota. Nos curtos deu um recital de bem tourear no estilo clássico que pratica. Serenidade, conhecimento da arte, resultaram em cinco curtos de excelente nota ao estribo a cravar com o toiro debaixo do braço como mandam as regras, o que lhe valeu o pedido do público para mais um ferro.
A fechar praça, um Varela Crujo com 490kg, reservado com arrancadas com poder. Francisco Palha já não repetiu a primeira parte. Cravou a ferragem da ordem numa lide sem história mas que prevaleceu a sua entrega fente a um toiro complicado.

Nas pegas, pelos Amadores de Alcochete abriu praça o cabo Vasco Pinto. Forcado experiente andou com classe para o toiro, mandou, para a ser obrigado a entrar nos seus terrenos para se fechar à córnea ao primeiro intento. Nuno Santana citou de largo a ter o oponente consigo para desfazer antes de entrar nos terrenos do toiro. Com o toiro mudado de sitio, recebeu mal. À 2ª tentativa entrou nos terrenos do toiro e à córnea efectuou uma pega difícil com o toiro a baixar a cara após a reunião e a viajar com o forcado para o sitio de onde tinha partido. A fechar, Ruben Duarte à primeira carrega de largo mas recebeu mal. À segunda, desequilibrou-se ao recuar, recuperou mas saiu após fortes derrotes. Concretizou á terceira já com ajudas carregadas.

Pelo Aposento da Moita abriu o cabo Tiago Ribeiro que como se diz na gíria efectuou três pegas. Frente a um Vinhas que se arrancava com para, à primeira tentativa esteve correcto desde ao cite à reunião para se fechar bem à barbela mas saiu já nas tábuas depois de falharem os ajudas. Na segunda igual. Mais uma grande tentativa onde faltaram as ajudas. Ficou inconsciente na arena mas com a garra que lhe é reconhecida voltou para a terceira tentativa e concretizou a sesgo. No final a sua entrega foi premiada com volta a arena. Ntinu Wen, forcado experiente, caminhou com classe para tornar fácil o que é difícil. Pegou fechado à barbela ao primeiro intento com uma boa primeira ajuda de Bernardo Cardoso. A fechar, Nuno Inácio não recebeu bem o toiro e sofreu forte derrote contra o chão a provocar uma lesão no ombro. Recuperou e concretizou á segunda tentativa com boa primeira ajuda de David Molina. Nuno Inácio sofreu fractura da omoplata.

Visto tratar-se de um Concurso de Ganadarias, em disputa o Troféu Apresentação e Bravura e ambos foram ganhos pelo toiro da ganadaria Murteira Grave.

O Mais e o Menos
+ Excelente ambiente com Praça Cheia e a primeira lide de Francisco Palha e a segunda de Rui Salvador. Os toiros com destaque para o Murteira Grave
- Nada a ssinalar

in Tauromania


Foto de Francisco Romeiras

Diego Ventura e Morante (o cavalo que gosta de morder o touro)


Sem comentários: