22 fevereiro 2008

Paulo Caldas critica notáveis após ser reeleito líder do PS/Cartaxo

Paulo Caldas foi reeleito presidente da Comissão Política Concelhia do PS do Cartaxo derrotando Pedro Ribeiro, mas no discurso de vitória não esqueceu quem esteve do outro lado da barricada, apesar de falar em união e coesão. “A partir de hoje, pelos resultados eleitorais obtidos, que terminem os ataques pessoais, os ódios, as vinganças, as ambições pessoais por vezes desprendidas de convicções e desmedidas que não foram compreendidas, para dar lugar à união e à coesão de um PS moderno”, realçou Caldas, perante os seus apoiantes.

Em resposta às alusões de Caldas, Pedro Ribeiro responde de forma irónica e diz entender o gesto do líder do partido como um mea culpa. “Se é para pôr de lado projectos individuais e voltar a assumir o projecto do Cartaxo e colocar de lados os interesses e as clientelas, se voltar a esse caminho, então está no rumo certo”, disse a O MIRANTE.

O líder reeleito da concelhia não esquece ainda Renato Campos, Ana Benavente e Conde Rodrigues, “notáveis” socialistas que apoiaram Pedro Ribeiro. Apesar de lhes agradecer os contributos que sempre deram ao Cartaxo, Caldas manifesta “uma palavra de incompreensão por terem abandonado a sua condição de estadistas e se terem transformado em meros políticos”.

Paulo Caldas disse esperar que os resultados das eleições lhes transmitam uma leitura objectiva de que devem retornar à condição de estadistas e que tenham a crença de que “o PS do Cartaxo e o concelho estão bem entregues, que têm um líder e uma equipa capaz”.

Recorde-se que o líder da concelhia socialista, presidente da Câmara do Cartaxo, foi reeleito presidente da concelhia com 133 votos, contra 64 votos do seu opositor. Votaram nas eleições à concelhia 197 militantes dos 268 que estavam em condição de exercer aquele direito. Não se registaram votos brancos nem nulos.

Numa noite em que nenhum dos candidatos esteve na sede da concelhia até ao escrutínio dos resultados – com uma maioria de elementos afectos à lista de Caldas em permanência no local - o líder reeleito sublinhou que o partido está a crescer consigo. E que nesta data já dispõe de mais 20 pessoas interessadas em inscreverem-se como militantes. “O PS cresceu nas oito freguesias desde 2002, o que só reabilita as causas e convicções de futuro. Em colectivo somos mais fortes que cada um”, assinalou, apontando como adversários PSD, CDU e BE, além de possibilidade de surgirem independentes nas próximas autárquicas.

Por seu turno, Pedro Ribeiro diz que quem se apresenta a eleições é para ganhar mas que um resultado a rondar os 35 por cento também é positivo. “Saberemos ler os resultados e os sinais que daí resultam para o futuro, a trabalhar como militante do PS e sem destabilizar a nova equipa. Uma possível candidatura independente à câmara não se coloca neste momento”, refere a O MIRANTE.

O vereador socialista, a quem Paulo Caldas retirou a vice-presidência da câmara e os pelouros no ano passado, diz esperar com expectativa que o grande número de militantes que participou na votação se traduza em resultados nas próximas autárquicas para o partido. “Que os novos militantes sejam activos e não se fiquem pelas eleições, para que em 2009 não percamos votos, vereadores, deputados municipais e maiorias absolutas nas assembleias de freguesia como nos dois últimos mandatos”, acrescentou.

in O Mirante

Sem comentários: