25 janeiro 2008

Prodi demite-se após chumbo no Senado

O primeiro-ministro italiano, Romano Prodi, apresentou esta noite a sua demissão, pouco depois de o Senado ter chumbado uma moção de confiança ao Governo.

O líder da coligação de centro-esquerda, no poder há apenas 20 meses, chegou ao Palácio do Quirinal ao início da noite, para uma breve audiência com o Presidente italiano, Giorgio Napolitano.

Após a demissão de Prodi, que deverá ser acompanhada pela dos restantes membros do executivo, cabe agora ao Chefe de Estado pela convocação de eleições antecipadas ou, em alternativa, nomear um governo de transição até à aprovação de aguardadas reformas eleitorais.

Os partidos de esquerda já fizeram saber que preferem a segunda opção, face a sondagens que dão como certa a vitória da direita, liderada pelo ex-primeiro-ministro Silvio Berlusconi, batido por escassa margem pela coligação de esquerda nas eleições de 2006.

Minado por sucessivas crises, o executivo de Prodi sofreu o derradeiro golpe no início desta semana, quando o ex-ministro da Justiça, Clemente Mastella, anunciou o afastamento dos centristas da Udeur do Governo. O partido detinha três lugares no Senado, cruciais para garantir a maioria da coligação governamental naquela câmara.

O líder da Udeur demitiu-se na última semana depois de ter sido envolvido numa investigação de corrupção, mas os analistas referem que por detrás da desavença está a reforma eleitoral proposta pelo executivo que poderá diminuir a representatividade dos pequenos partidos.

in Público

Sem comentários: