22 janeiro 2008

Disparates do Prós e Contras


António Fonseca, presidente da Associação de Bares da Zona Histórica do Porto, pede a demissão do Director-Geral de Saúde, Francisco George.

Realmente, António Fonseca é que deveria pedir a sua demissão. Um indivíduo que assume, expressamente (na TVI num programa da tarde) , que conhece casos de interferência de gangs de mafiosos, nos negócios da noite do Porto e não se queixa às autoridades competentes, como poderá defender os interesses da Associação que preside???


Fátima Bonifácio, historiadora, afirma veemente que o fumo não é nocivo para os não fumadores!

Dou graças por esta frase não ter sido proferida por nenhum médico, senão ficaria seriamente preocupado com o ensino superior em Portugal (especialmente na área da medicina).

4 comentários:

Campos disse...

Tal como Fátima Bonifácio argumentou (e muitos dos que não compreendem esta lei) que se um nao fumador nao quer apanhar o fumo dos outros num restaurante, que não vá ao restaurante, eu proponho à Fátima Bonifácio que se não quer ser proibida de de fumar num restaurante, que mude de país.

Vasco disse...

Caro campos,

os comentários dessa senhora foram muito disparatados e precipitados, nota-se à distância que é daquelas pessoas fumadoras compulsivas e viciadas.
Agradeço o comentário, volte sempre.

Cumprimentos

Osvaldo Lucas disse...

Bom, já que temos aqui peritos em medicina alguém que me diga o seguinte:
- Se eu fumar 1 maço de tabaco por dia durante 40 anos, qual é o risco de vir a ter cancro do pulmão (ou morrer antes de passar 40 anos a fumar)? E para outros valores/tempos?
- Ouvi no programa que se uma mãe fumar 20 cigarros ao lado do filho este fuma entre 1 e 4 - valor calculado a partir de um resíduo da nicotina na urina do filho fumador passivo. Pergunta-se - o filho estava a que distãncia? Fumou todos os cigarros ao lado do filho? Fumar o equivalente a 4 cigarros em termos de nicotina é o mesmo que fumar 4 cigarros? - afinal o que causa o cancro não é a nicotina, serão os hidrocarbonetos pesados (vulgo alcatrão).
Se um café/restaurante, etc tiver o mínimo de exaustão, e atendendendo que será pouco provável uma pessoa passar 8 horas no seu interior qual será a quantidade efectivamente consumida por um fumador passivo? - aqui poderá haver efectivamente um problema com os empregados.

Também ouvi que qualquer pessoa tem o direito de entrar EM QUALQUER espaço público (café, restaurante, etc) e como tal ter o direito à saúde logo o ar no interior de um café com dístico azul devia ser tipo os ares da Serra da Estrela (passe o exagero). Não me parece convincente esta argumentação porque o seu direito a entrar não é fortemente limitado. Afinal terá dezenas de opções mais ou menos equivalentes nas redondezas.

Vasco disse...

Caro osvaldo lucas,

Primeiro: aqui ninguém se assumiu como perito em medicina;
Segundo: qualquer especialista na matéria lhe comprovará que o fumo passivo é nocivo para a saúde (critiquei Fátima Bonifácio por afirmar o contrário)

Obrigado pela visita e comentário.

Cumprimentos